Home Posts Destaques Governo prevê corte de verbas do esporte para 2018. Ciclismo sofrerá muito!
Governo prevê corte de verbas do esporte para 2018. Ciclismo sofrerá muito!

Governo prevê corte de verbas do esporte para 2018. Ciclismo sofrerá muito!

228
0

Se o primeiro ano depois dos Jogos Olímpicos do Rio é de vacas magras para o esporte brasileiro, a previsão para 2018 é catastrófica. Enviada à Câmara dos Deputados, a proposta do governo federal para a Lei Orçamentária Anual (LOA) do ano que vem prevê que a verba disponível para programas do Ministério do Esporte sofra uma redução de 87% na comparação com o cenário já de escassez de 2017.

A rubrica “concessão de bolsas a atletas” terá disponível apenas R$ 70 milhões. Com isso, o programa Bolsa Atleta, que custa anualmente mais de R$ 130 milhões, deve sofrer mudanças drásticas, se não acabar. No total, o orçamento para o Esporte, que foi de R$ 1,245 bilhões na LOA de 2017, excluindo pessoal, transferências obrigatórias por legislação e créditos extraordinários, foi reduzido para R$ 163 milhões no projeto enviado por Temer à Câmara. Como comparação, em 2016 a pasta empenhou R$ 1,307 bilhão.

No entanto, com certeza, valores muito maiores serão utilizados para conceder recursos à parlamentares, para evitar que eles votem à favor das investigações da segunda acusação do ministério público contra Temer.

O cenário já é preocupante para o Bolsa Atleta neste ano. Principal programa do Ministério do Esporte, ele tinha previsão de consumir R$ 137 milhões em 2017, contra R$ 143 milhões do ano passado. Mas, o governo foi cortando a verba até deixar só R$ 125 milhões disponíveis. Considerando o número de bolsistas, a conta não fecha.
Para 2018, a situação é muito pior. Só os atletas beneficiados entre maio e junho pelo Bolsa Pódio deverão consumir R$ 31,5 milhões dos R$ 70 milhões do orçamento previsto em 12 meses.

MAIS:  Ciclistas, qual o café da manhã ideal para perder peso?

O governo ainda não divulgou os beneficiários do primeiro edital do Bolsa Atleta de 2017, mas, no ano passado, os mais de 6 mil beneficiados custaram mais de R$ 90 milhões ao governo. Para este ano, as regras são exatamente as mesmas.

Como essas regras são definidas a partir de uma legislação específica, que determina quem tem e quem não tem direito ao benefício, ela precisará ser revista reduzindo o valor das bolsas ou barrando o acesso a elas por parte dos esportistas que hoje têm direito a ela.

O Bolsa Atleta, porém, não é o único problema. Na verdade, é o programa que teve o menor corte: “só” perdeu 50%.
A rubrica “preparação de atletas e capacitação de recursos humanos para o esporte de alto rendimento”, de onde saem recursos para convênios com confederações, foi de R$ 56,6 milhões em 2017 para R$ 7,2 milhões na LOA de 2018. Em 2016, como comparação, foram autorizados R$ 134 milhões.

Outra rubrica importante para o esporte de alto rendimento do Brasil, a que trata da “preparação de seleções principais para representação do Brasil em competições internacionais”, que foi de R$ 40 milhões em 2017 (ainda que muito pouco disso tenha sido aplicado) e será de apenas R$ 4,8 milhões em 2018, se o projeto de lei não sofrer alterações no Congresso.

Todos nós sabemos que esportes como ciclismo, bmx e mountain bike não são prioridades. Na hora de dividir o que restou para investir no esporte, modalidades com mais apelo comercial abocanharão maiores parcelas, e com isto os esportes com bicicletas, que quase já não recebem investimentos, sofrerão demais.

Se no orçamento de 2017 havia R$ 60 milhões para “implantação de infraestrutura esportiva de alto rendimento”, em 2018 a previsão é de apenas R$ 13 milhões, o que frustra os planos de quem pretende construir centros de treinamento, como a Confederação Brasileira de Basquete. Para manter a aclamada “Rede Nacional de Treinamento” serão só R$ 20 milhões no ano que vem, contra R$ 100 milhões este ano.

MAIS:  Os Cinco Passos Para o Sucesso no MTB e Ciclismo

O combate ao doping também deverá ter muito trabalho para se manter em pé em 2018. Se já estava difícil realizar as atividades regulamentares com R$ 8,7 milhões previstos em 2017, será muito mais difícil com os R$ 2,7 milhões programados para serem disponibilizados em 2018. Esses recursos precisam pagar não só exames, mas também garantir o funcionamento do deficitário laboratório do Rio.

Mas o grosso no corte de orçamento está na rubrica “implantação e modernização de infraestrutura para esporte educacional, recreativo e de lazer”, utilizada, principalmente, para pequenas obras em equipamentos públicos espalhados por todo o país. Depois de disponibilizar R$ 462 milhões em 2017, o governo pretende liberar só R$ 7 milhões em 2018.

Além disso, não há qualquer referência à “implantação dos Centros de Iniciação ao Esporte”, que mereceram R$ 200 milhões no orçamento deste ano.

Desta forma a formação de novos atletas está fadada ao fim! Sem iniciativas privadas e sem o miserável investimento do governo, será muito difícil lançar novos atletas nos principais pelotões das grandes competições.

Um corte de 87% que seria ainda maior se não tivesse sido incluída uma nova rubrica: “gestão e manutenção do legado olímpico e paraolímpico sob responsabilidade da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO)”. A entidade deverá receber R$ 56 milhões em 2018, depois de ficar de fora da LOA 2017 e receber recursos transferidos de outras fontes primárias. Excluindo o Bolsa Atleta, esses R$ 56 milhões são mais do que todo o restante da verba disponível para o esporte de alto rendimento.

Em nota, o Ministério do Esporte minimizou o problema. Disse apenas: “Esses valores constam na previsão inicial da Lei Orçamentária Anual. O Ministério do Esporte tem trabalhado junto ao Congresso Nacional para elevar o orçamento da pasta previsto para o próximo ano”.

MAIS:  Limiar de Lactato: Por que ciclistas de todos os níveis devem conhecer este assunto?

Lamentável!

Deixe sua opinião!!! Vamos compartilhar...

comments

Guilherme Guimarães Guedes Editor e produtor de conteúdos para o site BikeTribe.com.br. Atleta amador de Mountain Bike. Participo de competições por todo o Brasil. Administrador da Equipe Bike Tribe Team. Treinador: Ricardo Leite
Please enter Google Username or ID to start!
Example: clip360net or 116819034451508671546
Title
Caption
File name
Size
Alignment
Link to
  Open new windows
  Rel nofollow