Home Colaboradores Como treinar – e chegar forte – no Iron Biker faltando poucas semanas para a prova
Como treinar – e chegar forte – no Iron Biker faltando poucas semanas para a prova

Como treinar – e chegar forte – no Iron Biker faltando poucas semanas para a prova

14.51K
0

Antes de tudo, a boa notícia é que: faltando algumas semanas antes do Iron Biker… Esta é a hora certa para iniciar os treinamentos específicos!

A grande maioria dos atletas de ponta, elites ou profissionais treinam sob olhar atento do treinador pois eles reconhecem o valor de se ter um acompanhamento profissional.

Eles também entendem que um treinador é geralmente mais experiente e mais capaz para tomar decisões mais sábias no dia-a-dia de treinamentos.

cartão de visitas Kadinho - bike tribe.png O atleta precisa se manter saudável, livre de lesões, evitar overtraining e burnout, e para isto busca sempre o melhor treinador possível.

A arte do treinamento é saber dosar as cargas entre o limite do overtraining e do alto desempenho.

O auto-treinamento pode ser eficaz em alguns momentos mas existem muitas armadilhas!

O segredo está em antecipar erros comuns que levam o atleta ao desgaste. É muito comum ouvir relatos de atletas amadores se queixando de desgaste físico.

Frequentemente recebo perguntas de Bikers em preparação para uma prova de Mountain Bike Maratona. Geralmente são atletas que competirão em provas mais longas, de 2 ou mais dias, como o Iron Biker, Ibitipoca TripTrail, Ultramaratona Sertão Diamente, GP Ravelli de Maratona ou Brasil Ride.

Noto que eles precisam primeiro conhecer um pouco sobre os fenômenos fisiológicos que ocorrem em seus organismos em momentos de altíssimo estresse fisiológico.

A fisiologia, a nutrição e a psicologia compartilham um elo natural nessa história.

Então, o que a ciência do esporte fala sobre isto?

Primeiramente, para realizar um deslocamento de tantas horas e quilometragens elevadas devemos conhecer a demanda energética que o corpo precisará disponibilizar.

O comando central no sistema nervoso central coordena todas ações do sistema fisiológico energético. Ele libera o combustível que se transforma em impulso na ação neuromuscular, fazendo os músculos trabalharem com força no pedal.

MAIS:  Café com Bike #8 | Sertão Diamante e Alimentação Pós Pedal

Essa demanda, perdurando por horas, começa a atuar no comando central repetidas vezes, e este passa a regular toda fisiologia neural e energética para se adequar o movimento da pedalada.

Quem comanda tudo na ciência da área fisiológica é o comando central do sistema nervoso central. Envia todas as ações para os membros para superar os obstáculos naturais e situações específicas como as das provas de XCO ou nas provas longas como o Iron Biker.

E é aí que entra a alimentação!

O corpo transforma a energia que está armazenada nos músculos e fígado em combustível, em forma de glicogênio, para os momento de esforço suprindo as sua necessidade. Esta produção varia de acordo com o nível de esforço.

A nutrição apropriada constituí no principal alicerce para o desempenho físico. Ela proporciona o combustível apropriado para o trabalho biológico e garante as substâncias químicas que ele utilizará durante as provas longas e duras.

O bom e velho oxigênio tem seu papel fundamental.

A respiração pode ser um ótimo parâmetro para avaliar o desgaste e quanto tempo o corpo poderá suportar esse nível de desgaste.

Se a frequência respiratória ficar muito elevada, (assim como acontece numa subida muito inclinada) e o atleta se encontrar muito ofegante, ficará nítido que ele está utilizando da energia Anaeróbica como fonte principal de combustível.

Isso poderá acarretar em fadiga brevemente, e se perdurar por muito tempo e não estiver treinado suficientemente para suportar essa zona, ele não suportará e quebrará.

A fadiga gera a produção do lactato, ou ácido lático.

Atletas treinados para provas de endurance realizam exercícios aeróbicos em ritmo estável com intensidades entre 80% a 90% de sua capacidade máxima.

Como conseguir suportar um longo período nestas condições?

Através de programas de treinamentos que favorecem uma menor produção de lactato e/ou um ritmo mais rápido de sua remoção do organismo.

MAIS:  BT Vlog 16 | Brasil Enduro Series será em Juiz de Fora, e nós estaremos lá!

Um programa adequado de treinamentos para provas de endurance como o Iron Biker, Ibitipoca TripTrail, Ultramaratona Sertão Diamente, GP Ravelli de Maratona dura em torno de 12 a 16 semanas.

Ele consiste em aumentar a capacidade das células de gerarem energia (ATP) aerobicamente através do metabolismo do carboidrato (glicose) e das gorduras (ácidos graxos).

A manutenção de um baixo nível do lactato conserva também as reservas de glicogênio, o que te permite prolongar a duração do esforço aeróbico de alta intensidade como numa corrida de maratona de Montain bike.

E isto que impede que você quebre durante uma prova!

Transformando tudo o que foi dito acima (cientificamente!) em ações práticas

Um bom programa de treinamentos irá melhorar a capacidade fisiológica do atleta através de séries de treinamentos específicos que equilibrarão o metabolismo quando submetidos à altas intensidades.

Resumindo: é treinar seu corpo a tolerar o lactato que fica no sangue!

E isto é obtido realizando séries específicas de treinamentos que equilibrarão o metabolismo do corpo quando em provas de alta intensidade.

como treinar para o iron biker 2 - bike tribe.jpg

Como devem ser os treinamentos para se obter resultados?

Os treinamentos de musculação são a solução! Eles garantirão a força gerada nos pedais para gerar potência. As séries na academia devem visar a capacidade do atleta em submeter-se à cargas permanentes e estáveis, sem sofrimento. Isto garantirá menor desgaste muscular.

Os exercícios focam no esforço contínuo. Isto simula a intensidade de uma prova. O atleta se acostumará a otimizar sua energia necessitando de menos esforço para gerar a potência que um atleta que não realiza treinamentos de musculação jamais gerará.

Nos treinamentos planejados serão realizadas séries em níveis para limiares anaeróbicos, que são classificados em Zonas 4 ou 5 de intensidade, dependendo da referência do treinador.

MAIS:  Faltando 7 dias para o Iron Biker, como se preparar!

É aí que reside a diferença entre um atleta submetido a um programa de treinamentos e um atleta treinando por conta própria: o primeiro é estimulado a treinar respeitando zonas anaeróbias bem distribuídas e com um plano evolutivo consistente, sem quebras e sem fadigas.

Quem não é orientado continuará fazendo seus “longões”, treinando de qualquer jeito. Desta forma não terá padrão fisiológico suficiente para se manter na zona de competição adequada.

Aí vem a pergunta: Numa corrida de maratona de 2, 3, 6 horas, você costuma ficar ofegante? Se a resposta for sim, você precisa treinar com um treinador para obter sucesso!

Com minha experiência em corridas me adaptei a realizar 80% das minhas provas nessas zonas. Aprendi a suportar! A intenção é suar sangue e como dizem os meus sábios amigos… ”é faca na caveira e sangue nos olhos!”

Clique aqui para conhecer um pouco mais sobre o autor.


Para saber mais sobre como chegar preparado no Iron Biker e em outras provas, fale com o treinador Bike Tribe Kadinho. Envie sua mensagem:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu Celular (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem

Deixe sua opinião!!! Vamos compartilhar...

comments

Ricardo Leite

Ricardo Gomes Leite possui 27 anos de experiência com Atividades físicas em Academias, Atleta de Ciclismo de estrada MTB. 25 anos de prática em treinamento individualizado para atletas de Ciclismo, corrida, natação, triatlon e musculação.
Atleta Competidor modalidade Maratona de montanha (MTB XCM e XCO e Ciclismo de estrada).
Responsável técnico pelo Programa de Treinamentos Bike Tribe.

Please enter Google Username or ID to start!
Example: clip360net or 116819034451508671546
Title
Caption
File name
Size
Alignment
Link to
  Open new windows
  Rel nofollow